domingo, 8 de junho de 2014

Review: 'An Unearthly Child' - 1º Doutor



Para quem não sabe "An Unearthly Child" é o primeiro arco de estórias com Doutor, vulgo, a primeira aparição do Doutor ever! O ano? 1963, este é o comecinho, o início do que se tornaria a série de ficção a mais tempo no ar. 

Esse primeiro arco se encontra, obviamente, nos chamados "anos clássicos" que vai de 1963 até 1989 - do Primeiro (William Hartnell) até o Sétimo Doutor (Sylvester McCoy). Claro que há o telefilme de 1996 com Paul McGann sendo o Oitavo, mas este se coloca como parte dos "novos episódios de Doctor Who".

Bom, voltando ao assunto deste post, eu não fui de sopetão ao primeiro arco da série. Com o decorrer de meu caminho com o reboot eu tomei conhecimento dos "anos clássicos" e só recentemente resolvi assistir ao início, afinal, não se pode renegar o passado e nem a importância do inicío da série. 

Meu caminho para adentrar nas quatro estórias de "An Unearthly Child" foi realizado em três etapas: 1) Assistir a An Adventure in Time and Space - o telefilme realizado ano passado pela BBC que conta, justamente, como a série começou; 2) Assistir ao Piloto que não foi ao ar (se você fizer o primeiro passo você saberá o motivo); 3) Assistir, finalmente, os quatro episódios de "An Unearthly Child": An Enearthly Child (episódio homonimo ao arco), The Cave of Skulls, The Forest of Fear e The Firemaker.


O arco é uma estória dividida em episódios, no caso, quatro. Não é muito pois a duração é por volta de vinte minutos, você consegue assistir a todo o arco por volta de uma hora e meia.

Em An Earthly Child primeira estória temos Susan Foreman (Carole Ann Ford) uma aparente adolescente de 15 anos que possui um conhecimento bem alem do normal para alguém de sua idade, fato este chama a atenção de dois de seus professores: Barbara Wright (Jacqueline Hill) e Ian Chesterton (William Russell) que resolvem a seguir depois da escola. Mas no endereço que supostamente ela mora há apenas um terreno baldio, eles entram no terreno que há apenas bregueços e estrenhamente uma cabine de polícia e um excêntrico velhinho que na cabeça de Ian e Barbara está prendendo Susan na cabine.












Claro que eles invadem a TARDIS, claro que eles não acreditam no que veem, claro que acham que Susan e o velhinho, que se denomina como Doutor, estão fora do juizo, mesmo vendo que na cabine o lado de dentro é maior. Neste momento aparece um dilema pois para o Doutor é perigoso deixar Ian e Barbara sairem na boa, uma vez que eles possuem agora a ideia de viagem no tempo. Doutor quer que ele e Susan partam do século XX mas Susan não quer e ameaça deixar não apenas a TARDIS mas o próprio avô. Claro que Doutor não dá bola, claro que ele liga a TARDIS e claro que eles vão parar onde não deveriam.


Em The Cave of Skulls percebemos que Doutor e sua habilidade de pilotar a TARDIS os trouxe para a Idade da Pedra Lascada onde os homens primitivos estão tentando obter fogo para decidir quem será o lider da tribo. Claro que Doutor não faz a mínima ideia onde estejam e sai para pegar amostra do solo. Infelizmente ele tem a ideia de fumar seu cachimbo e quando ele acende o fósforo, um dos homens primitivos o ataca e o leva preso para que ele possa fazer fogo pra tribo. Susan, Ian e Barbara preocupados vão procurar o Doutor e também são presos e todos ficam na Caverna das Caveiras, no que parece, sem possibilidade de fugir.


Em The Forest of Fear,  a Mulher Velha da tribo ajuda o Doutor, Susan, Ian e Barbara a fugirem para que eles não possam fazer fogo, mas Za e Hur vão atras deles enquanto a tribo resolvem fazem uma armadilha para os capturarem perto da TARDIS. Mas no caminho Hur é atacado por uma fera e Barbara e Ian e Susan resolvem o ajudar e todos voltam a tribo onde eles são novamente presos na Caverna das Caveiras.



Em The Firemaker, Ian consegue fazer fogo pra Hur que se torna o novo lider da tribo mas isso não
faz com que Doutor, Susan, Ian e Barbara consegam ir embora. Susan tem uma ideia de os fazerem ficar com medo enquanto eles conseguem fugir correndo pra TARDIS. Quando eles finalmente chegam a TARDIS, vamos só dizer que eles não vão para onde eles querem mas para um lugar desconhecido, onde o Doutor presupõe não será tão perigoso.




Eis os quatro episódios que iniciou tudo! Não leve em conta que eu escrevi pouco para supor que não tem muito o que contar, na verdade há muito a se falar mas não quero estragar sua alegria ao os assistir. E isso quer dizer muito pois eu vivo 'spoiliando' os outros com as coisas que gosto.
Mas depois que contei em linhas gerais o que há no primeiro arco de estórias, vamos para coisas mais específicas e frescas sobre: 
O primeiro arco é o que temos de mais original, no sentido de origem, que temos de Doctor Who. É o berço de tudo. Só por isso assistir ao arco já devia ser lei para whivians, assim como todas as temporadas dos "anos clássicos". E inicia de modo similar ao reboot de 2005, vemos primeiro um pouco de quem será os companheiros de viagem pra depois chegar ao Doutor. Se em 2005, conhecemos o Doutor pela ótima da Rose, descobrimos mais sobre ele a medida que Rose o descobre, aqui no primórdio, em 1963, o conhecemos na medida que Ian e Barbára o descobre: suas falhas, seu brilhantismo, etc.

É realmente bom que se tenha assistido a An Adventure in Space and Time, uma vez que temos o background dos bastidores, dos atores, da dificuldade de Verity Lambert em colocar o programa no ar nos é exposto, mas principalmente, você teve o assistir por perceber o quanto a série deve ao talento do William Hartnell para transformar o Doutor, num personagem carismático, mesmo que ele aja de modo que não concordamos. E isso me leva a salientar a diferença gritante do Doutor no Piloto que não foi ao ar e no primeiro episódio da série.

Se no Piloto que não foi ao ar, temos um Doutor rípido e seco, sem carisma nenhum e sem o 'borogodó que faz com que Doutor seja o Doutor, no primeiro episódio - que na verdade é a mesma estória do Piloto - temos um Doutor completamente diferente: excêntrico, amalucado, rápido nas respostas, e com 'borogodó' pra dar e vender, e isso se deve pela construção do personagem pelo ator que o interpreta. Aqui dois momentos do Doutor que não tinha no Piloto que não foi ao ar e que fez toda a diferença:

Talvez muita gente não goste, por ser antigo, pela maneira de filmar e conduzir a estória e o relacionamento dos personagens ser diferentes, ou talvez tenha idiotas pra não gostar pela falta de efeitos especiais. Eu só digo uma coisa: não há como se dizer whovian e renegar o passado!

Então, limpe-se do preconceito e se jogue na série, no primeiro arco!

Onde achar? Há um blog/site/enfim da série que é a melhor fonte da série em língua brasileira, aqui o link de onde encontrei os links para baixar os episódios do primeiro arco, inclusive o Piloto que não foi ao ar:  http://universowho.org/arco-001-an-unearthly-child/
E se você tiver interesse fuce no universowho e encontre o filme 'An Adventure in Space and Time' também.

FONTE:
Fotos: print screen dos episódios.

Um comentário:

  1. Bom dia,

    vi que seu site oferece arquivos para baixar. O http://Minhateca.com.br é um site de armazenamento e compartilhamento de arquivos com espaço ILIMITADO e totalmente gratuito! Sem tempo de espera ou qualquer restrição, download ilimitado e super rápido - 100% GRATIS! Porque não usa nosso site para hospedar os arquivos do seu site?

    ResponderExcluir